Blog

Gestores e lideranças ambientais se reúnem em lançamento de Projeto de recuperação de nascentes do Rio Goitá

Por Henrique Almeida
15/12/2021 | 06h:42

O Projeto Nascentes do Goitá – Mobilização e Ação por meio de Sistemas Agroflorestais Agroecológicos, visa recuperar áreas de nascentes do Território Bacia do Rio Goitá, a partir da implantação de Sistemas Agroflorestais  Agroecológicos. Na manhã desta quarta-feira (15), o Serta, organização que irá executar o projeto, em parceria com o Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste – CETENE, e o Governo de Pernambuco, por intermédio da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade – SEMAS, realizaram evento de assinatura de contrato do Projeto que prevê ações integradas com agricultores/as familiares para proteção das nascentes.

A cerimônia, realizada às margens do Rio Goitá, na propriedade rural da agricultura Madalena do Carmo e do jovem Jailson Antônio, estudante de agroecologia, no sítio Maçaranduba, em Glória do Goitá/PE, contou com a presença de estudantes de agroecologia, sindicalistas rurais e gestores públicos dos municípios do Território, da prefeita da cidade, Adriana Paes, da presidenta do Serta, Alexsandra Maria e do secretário da SEMAS, José Bertotti, e a apresentação cultural do coco de roda do agricultor e mestre da cultura popular, Bio Caboclo.

“Esse Projeto traz a mesma essência de quando o Serta chegou nesse Território e criou raízes, há pouco mais de vinte anos. Agora, somos convocados a unir nossos diversos públicos para cuidar das nascentes desse Rio, fazer despertar para a produção agroecológica e contribuir para mitigação das mudanças climáticas”, conta Alexsandra.

A agricultora Madalena, que vive na propriedade que fica às margens do Rio há mais de 40 anos, lembra do tempo em que o ambiente era “lugar de pesca, que ajudava muitas famílias no sustento”, e que agora a água não atende a necessidades de uso doméstico, por exemplo. A prefeita Adriana, lembrou da importância que tem o Rio que deu nome ao município de Glória do Goitá e a necessidade de preservá-lo. “Precisamos olhar o que é bom pra transformar o planeta, e a gente precisa da juventude pra fazer essa transformação, pra que possam existir mais árvores, mais flores, mais vida na cidade e no planeta”, discursou a gestora.

O secretário José Bertotti falou da iniciativa e do compromisso do Governo de Pernambuco em restaurar as nascentes do Rio Goitá, como parte do projeto Refloresta Pernambuco. “Esse projeto está sendo apoiado com recursos do Fundo Estadual do Meio Ambiente e, ter estudantes do Serta envolvidos nesse reflorestamento têm um significado especial, porque o Serta irá executar um programa de reflorestamento com essa tecnologia de SAF que vai fazer com que todos cuidem da nossa floresta, com um olhar para recarga hídrica”, considerou o secretário. “A gente espera que tenhamos a experiência multiplicada, fazendo com que os investimentos de recuperação de nascentes cheguem mais longe”, concluiu.

Ao final da cerimônia, duas mudas de árvores foram plantadas de forma simbólica como o pontapé para o início das atividades, que devem se estender durante o ano de 2022.

Sobre o Território do Rio Goitá

O Rio Goitá é importante afluente da bacia do Tapacurá, inserido em quatro municípios da Zona da Mata de Pernambuco: Glória do Goitá, Lagoa de Itaenga, Pombos e Vitória de Santo Antão e no Agreste, município de Feira Nova.

O contexto em que a região se encontra é identificado que 15% da área da bacia apresenta solos expostos, 23,5% com vegetação rala e 25,9% com vegetação esparsa, observa-se um total de 64,4% de área total da bacia com alguma exposição do solo. O investimento em Sistemas Agroflorestais Agroecológicos (SAFA) responde aos anseios regionais, de regeneração produtiva e convivência saudável e sustentável com a natureza.

Compartilhe:
Pin Share

Mais notícias