SERTA completa 30 anos

Publicado por Henrique Lee em 3 de agosto de 2019

Foto: Henrique Lee/SERTA

Será que dá para saber quanto dura uma ideia? Segundos, dias, meses ou anos? Séculos ou a eternidade? Quanto tempo dura uma ideia? O SERTA é a nossa grande ideia que completa hoje, 3 de agosto, trinta anos.
Manter-se firme é um desafio que envolve muita gente. Isso porque a nossa ideia depende da vida pulsante dos nossos sócios, colaboradores, parceiros, apoiadores e o nosso querido público que veio crescendo junto, e juntando outras gentes, que são as crianças, os adolescentes, os jovens, as mulheres, os agricultores e as agricultoras familiares, os/as educadores/as, os/as artistas e as lideranças, em torno dos desafios do desenvolvimento local.

Assumir esta ideia é dedicar-se a missão de formar pessoas para atuarem na transformação das circunstâncias econômicas, sociais, ambientais, culturais e políticas, na promoção do desenvolvimento sustentável.
É fazer emergir novas ideias. É acreditar na transformação social através do Programa Educacional de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável – PEADS.

Assumir e fazer parte do SERTA é poder vislumbrar o futuro do dia seguinte, tão presente quanto o de hoje, e que seja expressivo mais que o de ontem.

A organização foi fundada em 1989 a partir de um grupo de agricultores, técnicos e educadores que desenvolviam em comunidades rurais uma metodologia própria para a promoção do meio ambiente, a melhoria da propriedade e da renda e o uso de tecnologias apropriadas. Desde sua origem, teve como foco o desenvolvimento e reconhecimento da importância da agricultura familiar.

Hoje o SERTA atua nas Unidades Pedagógicas de Ibimirim/PE, às margens do Açude Poço da Cruz, e, em Glória do Goitá/PE, no Campo da Sementeira. Oferece a formação profissional de Técnico em Agroecologia e vem desenvolvendo outros projetos educativos guiados pelo PEADS, como Assistência Técnica e Extensão Rural – ATER, com produtores/as familiares; execução de tecnologias sociais para convivência com o Semiárido; e música, com crianças e adolescentes.

Por meio de mais de dois mil técnicos/as formados/as, o SERTA atua em mais de 200 municípios brasileiros, com profissionais diferenciados para o trabalho, para a família e sociedade.

Hoje celebramos! E o SERTA parabeniza todos que sustentaram e sustentam com muito carinho essa experiência mundialmente reconhecida.

SERTA: 30 anos gerando cenários para o desenvolvimento local, através da educação transformadora.

CONHEÇA MAIS

Preparamos uma linha do tempo para que você viaje nos anos e descubra os principais marcos do SERTA.

2019 – Realização da 3ª Jornada Pedagógica do PEADS; Celebração dos 30 anos do SERTA.
2018 – Lançamento do filme ATER para Transição Agroecológica.
2017 – Lançamento do filme Moura e o Serta de Coração; Abdalaziz de Moura é homenageado pelo Trip Transformadores;
2016 – Realização da II Mostra de Ecotecnologias
2016 – Escola técnica do Serta reconhecida como Escola Transformadora pela Rede Ashoka e pelo Instituto Alana
2015 – Início da execução da chamada de ATER em 25 municípios do Agreste e Zona da Mata. Vencedor do Prêmio Miguel Arraes de Inovação Inclusiva; Publicação do terceiro livro: Uma Filosofia do Campo que Faz a Diferença no Campo
2015 – Premiação do Serta como instituição que dissemina tecnologia inclusiva para a agricultura familiar e convivência com o Semiárido
2014 – Publicação do livro: A Permacultura aplicada a propriedade família; Realização da I Mostra de Ecotecnologias na Unidade de Ibimirim, PE
2013 – Publicação do livro Serta: uma certa universidade popular
2012 – Assinatura do Convênio com a SEE e início da formação técnica para todo Estado de Pernambuco e Estados vizinhos.
2011 – Formação da segunda turma com jovens do Agreste Meridional pelo Prorural
2010 – Formação da primeira turma do curso técnico com jovens que participaram do Consórcio da Juventude Rural com o Instituto Aliança de Salvador-BA
2009 – Realização da III Jornada Nacional do Jovem Rural; Aniversário de 20 anos do Serta.
2008 -Realização da I Jornada Educação para o Desenvolvimento. Credenciamento do curso técnico em Agentes de Desenvolvimento Local pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Meio Ambiente de Pernambuco (Sectma) e início do curso de qualificação profissional em Agentes de Desenvolvimento do Esporte (ADE)
2007 – Realização do I Simpósio de Desenvolvimento Territorial. Início da articulação para tornar o curso de ADL em Técnico de Nível Médio.
2006 – Formatura da 1º turma do curso em Agentes de Desenvolvimento Local (ADLs) – Campus Ibimirim. Sistematização do Curso dos ADL e da Peads nos municípios de Vicência, Orobó e Pombos e a publicação dos dois livros; Criação da Acreditar, capital humano e transformação social
2005 – Implantação da Unidade Pedagógica em Ibimirim, no Sertão pernambucano, a partir do Mutirão no Carnaval e a primeira turma de ADL; Formação do Conjunto Integrado de Projetos (CIP) – Bacia do Goitá; Realização do primeiro Planejamento Estratégico.
2004 – Iniciam os primeiros contatos com a região do Moxotó, sertão pernambucano, com cursos ministrados por jovens, nos municípios de Ibimirim, Inajá e Manari.
2003 – Realização do Encontro Latino-americano dos Centros de Aprendizagem e Intercâmbio de Saberes; O Serta ganha em 2º lugar no Prêmio Itaú/Unicef 2003 Educação & Participação; Criação da Ecoorgânica.
2003 – Publicação das “Diretrizes Operacionais para a Educação Básica nas Escolas do Campo; Publicação do seguro livro sobre os Princípios e Fundamentos do PEADS
2001 – Criação do Fundo Rotativo e conquista do título de Organização da Sociedade de Interesse Público – Oscip.
2001 – Publicação do primeiro livro sobre o PEADS
2000 – Mudança da Equipe do Serta para o Campo da Sementeira, em Glória do Goitá; Início do Curso Agentes de Desenvolvimento Local – ADL’s.
1999 – Assessoria aos 4 primeiros municípios que adotaram a PEADS como proposta municipal: São Benedito do Sul, Catende e Panelas na Mata Sul e Vicência na Mata Norte; O SERTA é indicado pelo Governo do Estado para assumir a Aliança com o Adolescente – Programa de um conjunto de empresários para a microrregião dos municípios pernambucanos da Bacia do Goitá (Feira Nova, Glória do Goitá, Lagoa de Itaenga e Pombos); Primeiro seminário da Aliança; Realização do primeiro Festival de Arte e cultura.
1998 – Desenvolvimento do primeiro projeto com apoio do Governo Federal, na formação de professoras da rede municipal e monitoras do PETI, em 13 municípios pernambucanos.
1997 – Chegada do Programa de Erradicação do Trabalho Infantil – PETI para os 13 municípios da Mata Sul. Visita da Secretária Nacional de Ação Social aos municípios com o Serta.
1996 – Transferência do SERTA do Agreste para a Zona da Mata Sul. Em conjunto com o Centro das Mulheres do Cabo (CMC), desenvolve o Projeto de Capacitação dos Assentamentos para a Produção Agrícola Diversificada de Alimentos
1995 – O MOC de Feira de Santana recebe o 3º lugar no Prêmio Educação & Participação do Itaú/Unicef, com a Proposta Pedagógica.
1994 – Primeira formação de Professoras rurais no município de Surubim sobre a Peads; Articulação e assessoria ao Movimento de Organização Comunitária (MOC), de Feira de Santana, Bahia, na região sisaleira, no desenvolvimento da sua proposta pedagógica.
1993 – Desenvolvimento da Proposta de Educação Rural – PER. Primeiro rascunho do que seria depois o PEADS.
1992 – Publicação das “Sugestões para um Plano Municipal de Desenvolvimento Rural”.
1991 – Publicação do Estudo “A Pequena Produção a Eterna Marginal”, fruto de estudos com assessores voluntários.
1990 – Encontro com cinco assessores para aprofundar o estudo sobre a Agricultura Familiar.
1989 – 30 de Agosto, Fundação do SERTA.



Deseja contribuir com essa iniciativa?
Banco do Brasil: AG 2081-8 | C/C 8437-9