Metodologia do Serta para Educação do Campo, Agricultura Familiar e Reforma Agrária

Publicado por Romário Henrique em 25 de Maio de 2017

Foto: Romário Henrique/SERTA

O serviço de Ater do Serta vê o agricultor familiar enquanto sujeito de direitos, chave no contexto do desenvolvimento nacional e capaz de garantir a soberania alimentar e nutricional da população. A entidade acompanha com metodologia própria – conhecida por Programa Educacional de Apoio ao Desenvolvimento Sustentável (PEADS) – 1,3 mil famílias, em 25 municípios pernambucanos. “O Serta fala a língua da gente, não usa palavra difícil ou teoria que não entendemos”, elogia Nana, presidente da Associação das Mulheres Raspadeiras de Mandioca de Glória do Goitá/PE.

“O Serta fala a língua da gente, não usa palavra difícil ou teoria que não entendemos”

Ela conta que muitos projetos foram desenvolvidos em comunidades rurais do Estado, implementados por diferentes instituições, mas “como o Serta faz nunca tivemos igual”. Valdiane Soares, diretora do Serta e autora do projeto, enxerga na metodologia de Ater o segredo para tal reconhecimento. “O PEADS consegue agregar todo mundo em um processo de construção coletiva, em prol da vida e da soberania no campo”, analisa. Das famílias agricultoras atendidas, 50% já comercializam em feiras e para o Pnae e o PAA e 30% passaram a acessar o crédito para investimento e custeio do Pronaf.

O Serta/PE se opõe ao modelo de Ater centrado na transferência de técnicas e tecnologias. “Partimos do conhecimento, estudo e análise do agroecossistema e adotamos um enfoque humano, ecológico e permacultural de aproximação com a realidade, de modo a fomentar a produção, o beneficiamento e a comercialização dos produtos oriundos da agricultura familiar”, reflete Valdiane. Para ela, a inovação do trabalho está na aplicação de tecnologias de baixo custo, apropriadas ao contexto e de uso efetivo. “Nossa ênfase está na pedagogia da prática”, completa.
A autora explica que, ao longo de 26 anos de história, o Serta/PE consolidou-se como um verdadeiro Centro de Formação Profissional para a Agricultura Familiar, com a oferta regular do curso técnico em Agroecologia e aplicação da metodologia em escolas públicas do campo e estabelecimentos de ensino profissionalizante.

No processo dos sistemas não-formais de educação, baseia-se no PEADS as atividades de Ater e as capacitações para técnicos, agricultores familiar e povos e comunidades tradicionais, sobretudo, quilombolas e indígenas. Vale destacar ainda que o Serta/PE, ao executar os serviços de Ater, sempre articula parceiros locais, notadamente os Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável (CMDRS). Um dos objetivos é a ampliação da cobertura das políticas públicas rurais, como aconteceu especificamente com o acesso ao mercado institucional e ao crédito.
Conheça esta e outras experiências no Caderno de Boas Práticas de ATER, publicado pela Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário. DOWNLOAD AQUI



Deseja contribuir com essa iniciativa?
Banco do Brasil: AG 2081-8 | C/C 8437-9