Com apoio de organizações, deputados criam frente em defesa do Semiárido

Publicado por Henrique Lee em 24 de Abril de 2019

Foi instalada hoje a Frente Parlamentar em Defesa da Convivência com o Semiárido, na câmara dos deputados federais, em Brasília. O ato de lançamento da frente contou com representantes da sociedade civil e é liderada pelo deputado Pernambuco Carlos Veras (PT), com o apoio das organizações da Articulação Semiárido Brasileiro – ASA.

O objetivo da frente é fazer garantir políticas públicas específicas para a região no próximo Plano Plurianual (PPA), que vale para os próximos quatro anos (2020-2023), em especial as políticas de Convivência com o Semiárido, que engloba os Programas de Cisternas, Sementes e Educação Contextualizada para o Semiárido.
“O Serta, que faz parte da ASA/PE, comunga com a frente exatamente porque o tema da Convivência com o Semiárido é central para as ações do Serta, já que possui atuação na região semiárida, com diversos estudantes que desenvolve os programas e as políticas as quais estão ameaçadas, sobretudo com o debate das energias renováveis e da educação contextualizada”, disse Germano Barros, presidente do Serta, que também participou do encontro.

No Semiárido vivem quase 30 milhões de pessoas, o que representa cerca de 15% da população brasileira, incluindo povos indígenas, quilombolas e famílias agricultoras que enfrentam a concentração de terras e de águas nas mãos de poucos.

Os investimentos nas implementações de tecnologias sociais de captação de água da chuva, como no Programa Um Milhão de Cisternas, já fez armazenar em cisternas de placa mais de 52 bilhões de litros de água para milhares de famílias. Essa mudança nas políticas públicas alterou a realidade da região. Antes marcada pelas figuras dos retirantes, da fome e dos carros-pipa controlados por oligarquias locais, o Semiárido se tornou lugar de oportunidades e comunidades rurais mais autônomas.

Faltam ainda 343 mil cisternas para garantir água de beber para as quase 1,8 milhão de famílias que vivem na zona rural do Semiárido. Como cada uma delas custaria pouco mais de R$ 3.490,00, seriam necessários R$ 1,254 bilhão para assegurar a universalização do acesso à água captada das chuvas nos 10 estados da região (os nove do Nordeste, além do norte de Minas Gerais).

Apoio dos pernambucanos

Dos 25 parlamentares pernambucanos, 20 já subescreveram a criação da frente. Além de Carlos Veras (PT), proponente da frente, assinaram Marília Arraes (PT), Renildo Calheiros (PCdoB), Túlio Gadêlha (PDT), Wolney Queiroz (PDT), João Campos (PSB), Felipe Carreras (PSB), Raul Henry (MDB), Daniel Coelho (CD), Augusto Coutinho (SD), Ricardo Teobaldo (Pode), Silvio Costa Filho (PRB), Bispo Ossésio (PRB), Pastor Eurico (Patri), André Ferreira (PSC), Fernando Rodolfo (PR), Sebastião Oliveira (PR), Fernando Monteiro (PP), Eduardo da Fonte (PP), Fernando Bezerra Coelho Filho (DEM).

Ainda não assinaram: André de Paula (PSD), Luciano Bivar (PSL), Danilo Cabral (PSB), Tadeu Alencar (PSB), Gonzaga Patriota (PSB), além dos três senadores Humberto Costa (PT), Jarbas Vasconcelos (MDB) e Fernando Bezerra Coelho (MDB). A não assinatura, no entanto, não necessariamente expressa a discordância com a pauta. Em alguns casos pode ser que os parlamentares ainda não tenham sido abordados pelo grupo que está recolhendo assinaturas.



Deseja contribuir com essa iniciativa?
Banco do Brasil: AG 2081-8 | C/C 8437-9