Audiência Pública debate propostas do meio rural para o PPA de Glória do Goitá

Publicado por Henrique Lee em 16 de setembro de 2017

Foto: Marcelo Francisco/SERTA

Municípios de todo o Brasil estão em fase de elaboração do Plano Plurianual – PPA que deve compreender os anos de 2018 a 2021. Em Glória do Goitá, estudantes de Agroecologia do Serta e Conselho do Desenvolvimento Rural e Desenvolvimento Sustentável, em parceria com vereadores do município, realizaram nesta sexta-feira (15), na câmara, uma audiência pública para apresentar e debater propostas para o PPA 2018-2021, com o tema: Agricultura Familiar: se o campo não planta, a cidade não janta.

Participaram do encontro diversos estudantes e agroecólogos do Serta, representantes de organizações sociais, sindicalizados rurais, agricultores/as familiares das comunidades rurais Terra Nova, Malícia, Gameleira, Ribeirão, Briosa, Amoras, Goitazinho, Guilherme, Canavieira, Araçá e população em geral. As propostas, formuladas em um encontro anterior pelos organizadores, foram apresentadas e debatidas em plenário, na apreciação dos vereadores Caio Neri, Monalisa Amorim, Alberes Rufino e Cícero Emiliano.

A vice-presidente do Conselho de Desenvolvimento Rural Ana Cristina, destacou a participação dos munícipes no encontro. “Pela primeira vez no município estamos tendo a participação maciça dos interessados. Nós conseguimos fazer uma triagem das necessidades reais que eles tinham, e foi em cima dessa triagem, dessa discussão, que nós conseguimos elaborar as propostas apresentadas aos vereadores” contou.

No espaço de diálogo do governo com a sociedade civil foram pautadas questões específicas para a população do campo que envolve saúde, transporte, segurança, habitação, educação do campo básica e profissional, acesso à água, manutenção de estradas, saneamento básico, cultura, esporte e lazer.

“Reivindicamos as questões das juventudes do campo, porque precisamos de cursos profissionalizantes na área rural. A gente quer estudar irrigação, plantação, escoamento, máquinas da agricultura familiar, cursos agrários, e o que hoje é ofertado pra gente são cursos que geram em nós a concepção de sair do campo, e não de ficar no campo”, discursou a jovem Janaína Santos, estudante do Serta.

Germano Barros, presidente do Serta, destacou que a organização que atua no município há 17 anos, tem pautado e contribuído para o desenvolvimento do campo. “Tivemos contribuições para o município em diversas áreas, na juventude, cultura, criança e o adolescente. Agora existe um conjunto de ações que a gente vem fazendo, sobretudo na organização produtiva das mulheres, da assistência técnica, implementação das cisternas de 16 mil litros, e esperamos que estas ações constem no PPA, para que haja continuidade e dê condições de as pessoas se manterem com qualidade de vida no campo, produzindo, gerando renda e desenvolvimento rural sustentável”, assinalou.



Deseja contribuir com essa iniciativa?
Banco do Brasil: AG 2081-8 | C/C 8437-9